Bem Vindo

Convidamos você a conhecer a nossa fabrica. Vamos através desta página mostrar todos os procedimentos para a fabricação de nossos instrumentos.

1° Preparação das Madeiras  

1° Preparação das Madeiras

As madeiras recebem os primeiros cortes e são separadas por espécie.

     
2° Preparação das Madeiras  

2° Preparação das Madeiras

Alguns desses cortes, como por exemplo, os que serão utilizados nas escalas e cavaletes, ficarão imersas em água, onde vão cozinhar por até 30 dias em caldeiras. Aqui, as madeiras sofrem um processo de solidificação, após horas mergulhadas em água sob altas temperaturas.

     
3° Preparação das Madeiras  

3° Preparação das Madeiras

Todos os cortes de madeira, antes de entrarem na produção, passam pela estufa. Ali ficarão por mais um período de uma semana a 20 dias, até estarem totalmente estabilizados.

     
1° Marcenaria  

1° Marcenaria

Na marcenaria é onde está o maquinário pesado. Aqui são preparadas as partes que irão compor os instrumentos.

     
2° Marcenaria  

2° Marcenaria

Essas partes são confeccionadas com gabaritos específicos para cada modelo, por profissionais altamente técnicos, que trabalham com precisão milimétrica.

     
3° Marcenaria  

3° Marcenaria

Processo de montagem dos braços. Neste ponto, já com tensor, tróculo e escala, mas ainda sem acabamento.

     
4° Marcenaria  

4° Marcenaria

Peças confeccionadas na marcenaria, que irão abastecer a linha de montagem dos instrumentos.

     
1° Colagem  

1° Colagem

Na colagem são preparados os laminados que serão utilizados nas laterais, fundo ou tampo, de acordo com o modelo do instrumento.

     
2° Colagem  

2° Colagem

Basicamente são usadas sempre 3 laminas de madeira, coladas umas ás outras, com adesivo líquido (Cascamite), formando uma espécie de "sanduíche".

     
3° Colagem  

3° Colagem

Depois de preparados, esses laminados ficam 24 horas em uma prensa, aguardando a secagem total desta cola.

     
4° Colagem  

4° Colagem

A qualidade deste laminado é determinante não só para a resistência do instrumento, mas também para o timbre do mesmo.

     
1° Início da montagem  

Início da montagem

A montagem dos instrumentos começam por sua caixas.

     
2° Início da montagem

2° Início da montagem
 

Início da montagem

Um experiente luthier prepara os tampos para os caixeiros. Externamente, aplicando a roseta e internamente trabalhando nos leques harmônicos, responsáveis pelo timbre e resistência do tampo.

     
3° Início da montagem  

Início da montagem

Os caixeiros começam a montar a caixa do instrumento moldando as laminas laterais á forma.

     
4° Início da montagem  

Início da montagem

Junto ás laminas laterais, são fixadas os tróculos superior e inferior. Aqui, as laminas laterais ganham o reforço do reengrosso, que as unirá ao tampo e fundo.

     
5° Início da montagem

5° Início da montagem
 

Início da montagem

Na sequência, são feitos os encaixes para receber as travessas. Estas, são abauladas de um lado e plainadas do outro, para acompanharem a contorno do fundo e do tampo, respectivamente.

     
6° Início da montagem  

Início da montagem

Juntando o tampo e o fundo, as caixas dos instrumentos ficam prensadas umas ás outras, por mais 12 horas, aguardando a secagem da cola de todo o conjunto.

     
1° Bordo/ Filetes  

Bordo/ Filetes

Depois da caixa pronta é o momento de se aplicar os filetes. Além de decorativos, eles servem como reforço. Esta operação ocorre no setor de bordo. Primeiramente, são feitos canais por toda a extremidade da caixa, onde serão aplicados estes filetes.

     
2° Bordo/ Filetes

2° Bordo/ Filetes

2° Bordo/ Filetes
 

Bordo/ Filetes

Aqui é necessária uma combinação de agilidade, força e muita perícia para unir 3 filetes, com cola entre eles, moldando-os com barbante no contorno da caixa. Este processo é feito duas vezes, primeiro com os filetes que unem as laterais ao tampo. Depois de 6 horas, é desenrolado e então aplicado os filetes que unem as laterais ao fundo.

     
3° Bordo/ Filetes  

Bordo/ Filetes

Depois de mais 6 horas, retira-se o barbante pela ultima vez e então é feita uma raspagem geral na caixa, para se retirar o excesso de cola.

     
1° Colagem dos braços  

Colagem dos braços

No estoque de braços, que é abastecido pela marcenaria, o responsável pela colagem dos braços seleciona as peças que irá utilizar em sua produção diária.

     
2° Colagem dos braços  

Colagem dos braços

é então realizado um pré acabamento no braço, antes de ser fixado á caixa.

     
3° Colagem dos braços  

Colagem dos braços

Detalhe do encaixe entre o braço e a caixa. Chamado de "Rabo de Andorinha", é um sistema que garante um melhor travamento entre as partes.

     
4° Colagem dos braços  

Colagem dos braços

Depois de ajustado com o auxílio de gabaritos, o braço é precisamente colado á caixa.

     
5° Colagem dos braços  

Colagem dos braços

São mais 12 horas até que se retirem as molas que garantem que o braço não sairá do lugar até a secagem total da cola.

     
1° Preparação da Escala/ Trastes  

Preparação da Escala/ Trastes

Com o auxílio de um gabarito que simula a altura do cavalete, a escala é plainada.

     
2° Preparação da Escala/ Trastes  

Preparação da Escala/ Trastes

Um eixo com vinte serras precisamente dispostas na medida de uma escala, cortam de uma só vez as cavidades onde serão posicionados os trastes.

     
3° Preparação da Escala/ Trastes  

Preparação da Escala/ Trastes

Os trastes são encaixados um a um.

     
4° Preparação da Escala/ Trastes  

Preparação da Escala/ Trastes

Um pistão pneumático garante a precisão do encaixe de cada traste.

     
Acabamento

Acabamento

Acabamento
 

Acabamento

Neste setor o processo é totalmente artesanal. Aqui os instrumentos são literalmente esculpidos. Tudo o que não foi possível fazer com maquinários, nossos luthiers realizam com suas próprias mãos, utilizando ferramentas como formão, grosa, raspadeira e lixas de várias gramaturas

     
1° Pintura  

Pintura

No setor de pintura os instrumentos passam de 5 a 7 dias, dependendo do acabamento que irão receber, se forem coloridos ou apenas envernizados.

     
2° Pintura

2° Pintura
 

Pintura

As partes que não devem receber verniz ou tinta são cobertas. Neste setor também é aplicada a nossa logomarca.

     
3° Pintura  

Pintura

Em uma moderna cabine de pintura, são aplicadas as camadas de verniz e pigmento colorido.

     
4° Pintura

4° Pintura
 

Pintura

Os instrumentos que têm o acabamento em verniz natural, recebem 5 camadas de material. São 2 de fundo P.U. e 3 camadas de verniz. No dia seguinte á cada aplicação, o instrumento é lixado novamente. Nos instrumentos coloridos são 6 camadas. Antes das 2 últimas de verniz, eles ainda recebem uma cobertura de tinta.

     
1° Colagem do Cavalete  

Colagem do Cavalete

A posição exata do cavalete é obtida com gabaritos individuais para cada modelo. 1mm fora da posição é o suficiente para o instrumento ter problemas de afinação, por isso existe muita atenção nesta etapa.

     
2° Colagem do Cavalete  

Colagem do Cavalete

Determinado o local exato, então é feita uma raspagem onde será aplicado o cavalete para retirada do verniz e assim aumentar a aderência de cola com a madeira.

     
3° Colagem do Cavalete  

Colagem do Cavalete

Para colagem é utilizado um adesivo termo fixo, aplicado com pistola. Esta etapa também não permite erros, pois a cola está muito quente e seca quase instantaneamente.

     
4° Colagem do Cavalete  

Colagem do Cavalete

Depois de fixado o cavalete, este fica sob a pressão de uma mola por 12 horas.

     
1° Polimento  

Polimento

Antes do polimento, os instrumentos são lixados uma última vez com lixa d'água.

     
2° Polimento  

Polimento

O polimento é realizado na politriz, primeiro com massa de polir, depois com cera.

     
Montagem

Montagem

Montagem
 

Montagem

Na montagem, os instrumentos recebem suas últimas partes. Aqui é instalado a pestana, rastilho, tarraxas, cordas e é aplicada a etiqueta com a nomenclatura de cada modelo.

     
Elétrica

Elétrica
 

Elétrica

Os instrumentos que têm o opcional elétrico são instalados neste setor.

     
Teste/ Controle de qualidade

Teste/ Controle de qualidade

Teste/ Controle de qualidade
 

Teste/ Controle de qualidade

Na sala de teste, os instrumentos são testados, um a um, checando-se a afinação e observando se há trastejamento. E verificando também o perfeito funcionamento dos que têm o opcional elétrico. Ainda é observado se não há nenhum defeito de acabamento. Qualquer problema identificado, o instrumento é encaminhado ao setor responsável para a realização do reparo ou ajuste. Por fim, o instrumento recebe uma etiqueta de código de barras com sua identificação e é fixado o manual e certificado de garantia.

     
Estoque/expedição

Estoque/expedição

Estoque/expedição
 

Estoque/expedição

No estoque, os instrumentos são embalados e separados em pilhas do mesmo modelo, de forma organizada para agilizar o trabalho da expedição no momento de serem separados os pedidos. Neste setor final, os instrumentos estão prontos e revisados, do modo como você irá receber nas lojas.

Voltar